sexta-feira, 12 abril, 2024
EnglishPortugueseSpanish
spot_img
InícioEconomiaMineração na Bahia cresce 50% nos 2 primeiros meses do ano

Mineração na Bahia cresce 50% nos 2 primeiros meses do ano

- Publicidade -

A atividade de mineração na Bahia continua a ter um desempenho positivo em 2023. O estado registrou um aumento de 50% na comercialização de minérios nos dois primeiros meses do ano. Isso em relação ao mesmo período de 2022.

De acordo com o Sumário Mineral de março que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) produziu, a comercialização totalizou R$ 1,8 bilhão em janeiro e fevereiro de 2023.

Em fevereiro, os principais minerais produzidos na Bahia foram ouro (33%), níquel (23%), agregados para a construção civil (areia, brita, cascalho, argila e caulim – 7%) e cobre (6%). Itagibá (23%), Jacobina (21%), Barrocas (6%) e Santaluz (6%) lideraram a produção mineral comercializada de fevereiro. Juntas, as cidades responderam por mais de 50% da produção total.

Esse desempenho também se reflete na arrecadação de CFEM, que vai para os municípios baianos. Dos R$ 8,5 milhões que a Bahia arrecadou nos meses de janeiro e fevereiro, mais de R$ 4,2 milhões vão para os municípios acima citados. A CFEM deve ser usada em projetos que melhorem a infraestrutura, a qualidade ambiental, a saúde e a educação da comunidade.

Mineração na Bahia

Antonio Carlos Tramm, presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), enfatizou a importância da mineração para o crescimento do estado. De acordo com Tramm, a atividade está presente em mais da metade dos municípios baianos e beneficia a economia da região por meio dos empregos gerados e dos retornos financeiros para os municípios onde as empresas estão situadas.

“A atividade está presente em mais da metade dos municípios baianos e tem papel fundamental para o crescimento do estado. As cidades onde estão as empresas são beneficiadas tanto com o dinheiro da CFEM que retorna para o município, quanto pelos empregos gerados, que normalmente pagam três vezes a mais do que em outros setores, beneficiando toda a economia da região”, disse.

Em outro ponto, Angelo Almeida, secretário da SDE, elogiou a força da mineração baiana. Além disso, destacou o papel dos agregados na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS). Ele afirmou que a mineração tem um grande potencial na Bahia. Os agregados, por exemplo, responderam pelo aumento de R$ 1 milhão na arrecadação do ICMS.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Deixe uma resposta

- Publicidade -spot_img

MAIS VISTOS

- Publicidade -