quarta-feira, 24 abril, 2024
EnglishPortugueseSpanish
spot_img
InícioEconomiaGold Royalty investe US$ 31 milhões no Projeto de Ouro Borborema

Gold Royalty investe US$ 31 milhões no Projeto de Ouro Borborema

- Publicidade -

A empresa canadense Gold Royalty está direcionando investimentos significativos para impulsionar o desenvolvimento do Projeto de Ouro Borborema, localizado no estado do Rio Grande do Norte, Nordeste do Brasil. O aporte totaliza US$ 31 milhões.

Como parte desse acordo financeiro, a Gold Royalty adquirirá royalties de retorno líquido de fundição (NSR) de 2% sobre a Borborema, desembolsando US$ 21 milhões em dinheiro. Além disso, fornecerá suporte adicional como credor por meio de um empréstimo vinculado ao ouro, conversível em royalties, avaliado em US$ 10 milhões.

A Gold Royalty já recebeu compromissos financeiros do Queen’s Road Capital Investment (QRC) e do Taurus Mining Royalty Fund para concluir uma colocação privada de US$ 40 milhões em debêntures conversíveis sem garantia.

Somando-se a isso, a Aura Minerals, empresa responsável pelo projeto, assegurou recursos financeiros adicionais, incluindo um empréstimo a prazo de US$ 100 milhões com o Banco Santander Brasil e US$ 14 milhões obtidos por meio de colares de ouro com diversas instituições financeiras. Com esses aportes, a Aura Minerals já garantiu mais de US$ 145 milhões para a construção da mina de ouro Borborema, que possui um investimento total estimado em US$ 188 milhões.

O projeto abrange três concessões mineiras, totalizando uma área de 29 km², além da titularidade da área principal do prospecto. Os direitos de exploração mineral, cobrindo 410 km², estendem-se ao longo da tendência das concessões mineiras da Borborema, permanecendo prospectivos para recursos adicionais, conforme afirma a Aura Minerals.

Um estudo de viabilidade definitivo (DFS) foi concluído em dezembro de 2019 para a primeira fase do desenvolvimento do projeto e atualizado em julho de 2020. Atualmente, a Aura está em processo de atualização do DFS, considerando os padrões do Instituto Canadense de Mineração, Metalurgia e Petróleo (CIM).

Além do Projeto Borborema, a Aura Minerals tem ampliado sua presença no Brasil. Em setembro, iniciou a produção comercial na mina de ouro de Almas, o primeiro projeto greenfield desenvolvido pela mineradora. A empresa também opera a mina de ouro EPP no Brasil, a mina de cobre-ouro-prata Aranzazu no México e a mina de ouro San Andres em Honduras.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Deixe uma resposta

- Publicidade -spot_img

MAIS VISTOS

- Publicidade -