sexta-feira, 12 abril, 2024
EnglishPortugueseSpanish
spot_img
InícioEconomiaNegóciosVale considera renomear Bartolomeo para segundo mandato mais curto

Vale considera renomear Bartolomeo para segundo mandato mais curto

- Publicidade -

A Vale está avaliando a possibilidade de reindicar Eduardo Bartolomeo para um segundo mandato como CEO, com uma duração mais curta. De acordo com informações do Valor Econômico, essa é uma das alternativas em discussão nas conversas em andamento sobre a sucessão na gigante de mineração, envolvendo acionistas e o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Conforme relatado pelo jornal brasileiro, o governo federal está tentando indicar o ex-Ministro da Fazenda do Brasil, Guido Mantega, como diretor executivo da Vale.

O atual mandato de Bartolomeo é de três anos, com a possibilidade de renovação por um período mais curto. O governo federal concordou com a extensão “abreviada” do mandato atual, com a contrapartida de Mantega ocupar um assento na Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil e acionista da Vale, no conselho de administração da empresa.

Uma reunião do conselho da Vale está agendada para 31 de janeiro. De acordo com as regras de governança da empresa, Bartolomeo precisa ser informado se permanecerá no cargo quatro meses antes do vencimento do contrato, no final de maio. Isso significa que o conselho precisa fazer o anúncio até o final de janeiro.

Vale considera novo mandato

O executivo Luis Henrique Guimarães, do produtor de bioetanol, açúcar e energia Cosan Group, também está entre os considerados para assumir a liderança da empresa de mineração. Seu nome é apoiado por Rubens Ometto, proprietário da Cosan, que adquiriu uma participação de cerca de 5% na Vale em 2022.

Ainda segundo o Valor Econômico, o nome de Mantega continua a ter peso entre os líderes do governo federal. Além da Cosan, a Vale tem acionistas como Black Rock e Capital, e a Previ. Mitsui e Bradespar, o braço de investimentos do banco brasileiro Bradesco, também são acionistas.

De acordo com o Valor Econômico, o governo federal busca se aproximar de grandes empresas que têm uma agenda de descarbonização, como é o caso da Vale. A Vale tem discutido potenciais projetos de hidrogênio verde com a Petrobras e está em negociações com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para criar um fundo de investimento para financiar projetos de minerais críticos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Deixe uma resposta

- Publicidade -spot_img

MAIS VISTOS

- Publicidade -