sexta-feira, 12 abril, 2024
EnglishPortugueseSpanish
spot_img
InícioESGMineradora de nióbio investe em preservação em Goiás

Mineradora de nióbio investe em preservação em Goiás

- Publicidade -

A CMOC Brasil, empresa mineradora que atua na mineração e no beneficiamento de nióbio e fosfatos, minerais essenciais para a agricultura no Brasil, informou que firmou uma parceria com a Universidade Federal de Catalão (UFCat), para viabilizar a construção de 200 bacias de contenção em propriedades vizinhas às suas operações em Goiás, nos municípios de Catalão e Ouvidor.

De acordo com a mineradora, as obras contribuirão para a captação de água pluvial (proveniente de chuva) para o lençol freático (formado por água subterrânea de pouca profundidade). O objetivo é abastecer as propriedades rurais e aprimorar a disponibilidade hídrica da região.

O projeto, a ser executado ao longo de 2023, contempla ações em 12 nascentes. A CMOC vai publicar os resultados em um trabalho acadêmico no próximo ano. As ações em questão contribuirão na conservação da vegetação das 12 nascentes, na melhoria do solo e na manutenção da fauna silvestre. A área estimada de ação para cada nascente é de 7.850 m², totalizando 95 mil m² de áreas melhoradas.

Mineradora foca em ESG

O anúncio da parceria aconteceu neste mês. Ele também celebra duas datas importantes para agenda de ESG (Environmental, Social and Governance) da CMOC: o Dia Nacional da Conscientização sobre as Mudanças Climáticas (dia 16) e o Dia Mundial da Água (dia 22).

A mineradora será a responsável pelo monitoramento da qualidade e a quantidade de água, de acordo com a legislação e as demandas das licenças vigentes. Enquanto isso, a instituição federal irá conduzir o processo de construção e mensuração das melhorias advindas das bacias de contenção – as cacimbas – junto aos lençóis freáticos.

Conforme informou a CMOC, no final de 2022, as partes realizaram consultas com os vizinhos às operações sobre o interesse em participar do projeto. Na ocasião, houve a adesão de mais de 100 pessoas. Além disso, a empresa mapeou diversas nascentes.

“Contribuir para o consumo consciente deste importante recurso que é a água faz parte dos compromissos de ESG da nossa companhia pensando no futuro. Esta trata-se de uma primeira fase do projeto. Assim, após os resultados avaliaremos a possibilidade de ampliação para outras áreas”, disse Lisiane Feltraco, coordenadora de Gestão Social.

Projeto vista abastecimento de água

O projeto funcionará como ferramenta para produção e melhor abastecimento de água das comunidades e também para o equilíbrio de todo o ecossistema da região.

“Essa área irá auxiliar no reabastecimento das bacias hidrográficas locais e poderá contribuir no abastecimento das propriedades rurais. Em relação às nascentes, serão fornecidos subsídios para plantio de mudas, cercamento, coroamento, combate a formigas, replantios, irrigação durante a estiagem, além da cartografia e a consolidação dos dados”, afirmou Rafael de Ávila Rodrigues, professor titular do Instituto de Geografia (IGeo) da UFCat e responsável pelo projeto.

Rafael explica que a preservação e conservação dos recursos hídricos não só garantem as funções naturais do meio ambiente como preservam a paisagem e a conservação da fauna e da flora nativa.

“As áreas de nascentes possuem um grande papel no ciclo hidrológico. Afinal, colaboram para alimentação da rede hidrográfica de superfície, tornando imprescindível a sua proteção para garantir da preservação e conservação hídrica e ambiental”, disse.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Deixe uma resposta

- Publicidade -spot_img

MAIS VISTOS

- Publicidade -