Publicidadespot_img
InícioEconomiaNegóciosCorredor logístico que está sendo construído pela Bamin na Bahia vai impulsionar...

Corredor logístico que está sendo construído pela Bamin na Bahia vai impulsionar exportação dos setores de mineração e agronegócio

Investimento de R$ 20 bilhões nos projetos que incluem a Mina Pedra de Ferro, em operação na cidade de Caetité, e os projetos de solução logística integrada: Porto Sul, em Ilhéus, e a FIOL 1, que ligará Caetité a Ilhéus, com 537 km de extensão.

De passagem por Belém para acompanhar a programação da Exposibram, o CEO da Bamin, Eduardo Ledsham, um dos mais experientes executivos do setor de mineração do país, conversou com o Minera Brasil sobre o empreendimento da empresa na Bahia.  O projeto Pedra de Ferro tem capacidade de produzir 26 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, na mina de Caetité.

“Bamin está na fase de construção. Hoje a gente está com uma operação para 1 milhão de toneladas. Vamos manter isso durante o período da construção nos próximos cinco anos. O primeiro embarque vai ser em agosto de 2017,” comentou Ledsham.

A Bamin está construindo corredor logístico de integração e de exportação para a mineração e o agronegócio, investindo R$ 20 bilhões nos projetos que incluem a Mina Pedra de Ferro, em operação na cidade de Caetité, e os projetos de solução logística integrada: Porto Sul, em Ilhéus, e a FIOL 1, que ligará Caetité a Ilhéus, com 537 km de extensão. A previsão é de que a ferrovia e o Porto Sul estejam prontos também em 2027.

“É um corredor que vai abrir oportunidades não só para a Bamin, a Bamin  é só a primeira âncora de um negócio muito maior. Ao longo desse corredor existem vários depósitos de minério ferro que vão ser desenvolvidos, além de conectar com a Fiel 2, trazendo a carga que hoje é transportada de caminhão de Luís Eduardo e Barreiras. São 7 milhões de toneladas de grão que vão se beneficiar desse novo corredor,” explicou Ledsham.

Ledsham disse que é um desafio enorme tocar esse projeto, mas que sente motivado pelo legado que ele pode   deixar ao país.  “Esse desafio é o que nos motiva, é um legado que nos deixa felizes em saber que esse corredor vai alavancar a economia não só da Bahia, mas do país”.

A Bamin é controlada pelo grupo   Eurasian Resources Group (ERG), um dos principais produtores de recursos naturais do mundo, com mais de 20 anos experiência na área de mineração, o ERG tem um portfólio de ativos de produção e projetos de desenvolvimento em 14 países, cruzando quatro continentes e empregando cerca de 75 mil pessoas.

- Publicidade -
NOTÍCIAS RELACIONADAS

Deixe uma resposta

- Publicidade -spot_img

MAIS VISTOS

- Publicidade -