sexta-feira, 12 abril, 2024
EnglishPortugueseSpanish
spot_img
InícioEconomiaComplexo siderúrgico de US$ 500 milhões está sendo instalado na fronteira do...

Complexo siderúrgico de US$ 500 milhões está sendo instalado na fronteira do MS com a Bolívia

- Publicidade -

Uma comitiva composta por empresários e representantes do Governo do Estado do Mato Grosso do Sul, liderada pela Prefeitura de Corumbá, realizou uma visita ao Complexo Siderúrgico de Mutún, localizado na cidade boliviana de Puerto Suárez, na província de Germán Busch. O projeto, que abrange 40 hectares, tem investimentos previstos de US$ 500 milhões.

Durante a visita, que ocorreu na última sexta-feira, o grupo teve a oportunidade de conhecer em detalhes o processo de transformação do minério de ferro em aço, as cinco plantas que fazem parte da cadeia produtiva do aço e a tecnologia empregada nesse processo. Também foi apresentada uma maquete das futuras instalações da empresa de siderurgia.

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Sustentável de Corumbá, Cássio Augusto da Costa Marques, explicou que o objetivo da visita era divulgar as realizações na zona fronteiriça da Bolívia e mostrar a tecnologia avançada utilizada na produção de aço por meio da redução direta do gás natural. Vale destacar que essa foi a segunda visita da Prefeitura de Corumbá à Planta Siderúrgica Integrada de Mutún, a primeira aconteceu em março deste ano.

O Secretário ressaltou que a missão incluiu a divulgação das oportunidades de industrialização da cadeia produtiva da mineração e da siderurgia, com o foco na verticalização do processo produtivo.

O Coordenador de Mineração e Gás da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), Eduardo Pereira, enfatizou o sucesso e a sustentabilidade do projeto, além do empenho do Presidente da Bolívia, Luís Arce, e do Sr. Jorge Rivas, Presidente da Empresa Siderúrgica de Mutum, em viabilizar essa iniciativa notável.

O Complexo Siderúrgico de Mutún, quando em plena operação, produzirá cerca de 200 mil toneladas de barras de fio-máquina para construção por ano, gerando uma receita de aproximadamente US$ 200 milhões anuais.

A produção do fio-máquina poderá ser usada como matéria-prima por outras pequenas indústrias na fabricação de pregos, parafusos, flanges, porcas e outros produtos com alta demanda no mercado nacional. A visita destaca o potencial de cooperação econômica entre o Brasil e a Bolívia, fortalecendo laços e promovendo o desenvolvimento sustentável na região.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Deixe uma resposta

- Publicidade -spot_img

MAIS VISTOS

- Publicidade -