quinta-feira, 16 maio, 2024
EnglishPortugueseSpanish
spot_img
InícioLogística & EquipamentosAura atualiza suas reservas de recursos minerais

Aura atualiza suas reservas de recursos minerais

Aura Minerals informou que atualizou suas reservas de recursos minerais referentes às suas quatro minas em operação, além de relatórios de desenvolvimento dos projetos Borborema e Matupá.

- Publicidade -

Rodrigo Barbosa, CEO da mineradora comentou que a atualização dos Recursos e Reservas Minerais (RRMR) das operações da empresa teve um aumento significativo de 2.4moz em Recursos M&I (Medidos e Indicados) e 856 koz em Reservas P&P (Provados e Prováveis).

“Este avanço decorre da nossa estratégia de expandir a produção e os Recursos e Reservas. Em 2023, divulgamos o Estudo de Viabilidade para o projeto de Borborema, projetando uma produção anual de 83koz/ano durante os primeiros quatro anos de operação, além de um acréscimo nas Reservas de 814koz e nos Recursos de 2.1 moz, sem contar que, com a provável realocação da Estrada Federal em Borborema, adicionaremos outra quantidade significativa de reservas. Além de Borborema, nossos esforços em Apoena levaram ao maior aumento de reservas. Desde 2017, quando tínhamos 3 anos de Vida Útil de Mina (LOM); desde então já produzimos por 7 anos e agora temos uma LOM de 5 anos”, apontou Barbosa.

“Dado o sucesso no programa de exploração somados ao nosso potencial de expansão, mantemos o compromisso de intensificar a exploração para agregar valor aos acionistas a longo prazo.”, afirma o CEO da Aura Minerals.

Destaques de 2023:

  • A Aura concluiu outro programa de exploração robusto totalizando 114.074,37 metros de perfuração, com um investimento superior a US$24 milhões para aumentar as Reservas e Recursos Minerais (“MRMR”) e substituir as onças depletadas. Os esforços de exploração foram conduzidos em todas as operações, com exceção de Minosa, onde os esforços foram concentrados na melhora do desempenho operacional da mina. A Aura espera retomar as atividades de exploração de Minosa em 2024.
  • O aumento significativo do MRMR deu-se principalmente pela inclusão do Projeto Borborema, após a conclusão do estudo de viabilidade anunciado em agosto de 2023, e pelo crescimento de reservas na mina de Apoena, onde foi registrado o maior aumento de Reservas Minerais desde 2017.
  • As Reservas Minerais Provadas e Prováveis (“P&P”) aumentaram 32%, com 1,2M GEO adicionados (antes da depleção/conversão). As quatro minas operacionais consolidadas apresentaram um aumento de aproximadamente 856k GEO (antes da depleção), superando a depleção de 2022 em uma base consolidada. Houve um aumento líquido nas Reservas P&P de Apoena, Aranzazu e Almas. Adicionalmente, aproximadamente 812k GEO deste aumento é atribuído ao Projeto Borborema.

Os Recursos Minerais Medidos e Indicados aumentaram 49%, com a adição de 2,4M de GEO. Além disso, os Recursos Minerais Inferidos aumentaram 27%, com a adição de 221 mil GEO (após conversão), decorrente da adição de aproximadamente 400 mil GEO atribuídos ao Projeto Borborema.

Apoena, Brasil
Em Fato Relevante divulgado em 23 de fevereiro de 2024, a Aura anunciou a atualização das Reservas e Recursos Minerais (“MRMR”) de Apoena, apresentando o maior aumento de Reservas de ouro da mina desde 2017. Este crescimento decorreu em um aumento da vida útil da mina para cinco anos, com base exclusivamente nas Reservas Atuais. A atualização deu-se devido a uma extensa perfuração realizada nos últimos anos, especialmente nas minas Nosde e
Lavrinha. A Aura tem como objetivo seguir expandindo as atividades de exploração para aumentar ainda mais os Recursos Minerais Inferidos e explorar potenciais conexões entre as minas já exploradas. A diminuição nos Recursos Minerais Inferidos resultou da perfuração e da conversão para Recursos Indicados.

Planta de beneficiamento da Aura em Apoena, Mato Grosso.

Almas, Brasil
Almas é o primeiro projeto greenfield construído pela Aura e iniciou a produção comercial em setembro de 2023. A produção anualizada média de ouro é estimada em 51.000 onças durante os primeiros quatro anos, excluindo os investimentos em
expansão, que estão em andamento. Estima-se uma vida útil da mina de 17 anos, com base em Reservas Minerais estimadas de acordo com a NI 43-101.
Em 2023, as atividades de perfuração no depósito de Paiol concentraram-se na conversão de Recursos Minerais Inferidos para a categoria Indicada. O total de 15.482,55 metros foram perfurados. Perfurações também foram executadas no depósito de Vira-Saia, na parte noroeste do corpo inferido, para converter Recursos Minerais Inferidos para a categoria Indicada.

Borborema, Brasil
A Aura divulgou o Estudo de Viabilidade de Borborema em agosto de 2023, que indicou uma produção antecipada de 748.000 onças de ouro ao longo de uma vida útil da mina de 11,3 anos, com potencial de ampliação. Borborema também possui uma alta quantidade de Reservas Minerais, com Reservas Minerais Prováveis de 812.000 oz de ouro, e um extenso perfil de Recursos Minerais com forte potencial de crescimento, que consiste em 2.077 koz de Recursos Minerais Indicados e 393 koz de Recursos Minerais Inferidos. Medidas iniciais já foram tomadas para começar a obter permissões para mover a estrada, e, após sua realocação bem-sucedida, existe o potencial para converter em Reservas Minerais 1.265 koz de Recursos
Minerais Indicados em Reservas Minerais (exclusivo das reservas minerais atuais), dependendo de um futuro conjunto de fatores modificadores, como preço do ouro, taxa de câmbio e outros.

Matupá, Brasil
Desde o Estudo de Viabilidade em 2022, a Aura vem conduzindo atividades de exploração no Projeto Matupá, incluindo atividades de superfície como amostragem de solo e rocha, mapeamento geológico e reconhecimento, reavaliação de
núcleos de perfuração, levantamento geofísico e programas de perfuração de exploração e extensão para desenvolver uma quantidade significativa de ocorrências de ouro e anomalias identificadas dentro de um raio de 50 km do Depósito X1, dentro dos direitos minerais da Aura. No Alvo Serrinhas, as atividades de exploração continuaram com a reavaliação completa de núcleos de perfuração e um
levantamento detalhado de magnetômetro com drone de 1.200 km cobrindo todo o prospecto, que foi utilizado para orientar a continuidade dos programas de perfuração de reconhecimento e extensão nas zonas de minério MP2 Oeste e MP2 Leste, tanto com perfuração convencional de núcleo de diamante quanto com perfuração de núcleo de diamante direcional.

A Aura Minerals comunica que, em face das atuais circunstâncias, estão adotando uma postura de cautela em relação às operações, além de reconhecer a importância de tomar medidas proativas para garantir a segurança e o bem-estar de todos os envolvidos nas atividades citadas.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Deixe uma resposta

- Publicidade -spot_img

MAIS VISTOS

- Publicidade -