Conteúdo Publicitário

North Star recebe licença para refinaria de ouro no Pará e vai investir R$ 50 milhões

20 MAI 22

Views168 Views

Comentários0 Comentários

  • North Star recebe licença para refinaria de ouro no Pará e vai investir R$ 50 milhões

North Star/Divulgação

A refinaria de metais preciosos que atua na região norte do Brasil, a North Star S.A., anunciou um investimento de mais de R$ 50 milhões para aumentar sua produção de ouro no Pará

O anúncio foi feito na última semana. Na ocasião, o prefeito de Belém, do Pará, e o secretário do Meio Ambiente do Estado afirmaram que a empresa recebeu a Licença para Operação (LO). Assim, a North Star deve começar ainda este ano a promover suas atividades com foco em sustentabilidade.

Essa licença poderá ser um divisor de águas para o Norte do Brasil. Afinal, vai levar tecnologia e empregos para a região.

Conforme informou a empresa, os R$ 50 milhões estão sendo direcionados para preparo dos funcionários, que são majoritariamente do Pará. Além disso, os recursos ajudarão a tornar a empresa responsável por 25% da produção nacional de ouro.

Além de seguir padrões internacionais de qualidade de operação, a empresa busca seguir as políticas ESG (Environmental, Social & Governance).

A refinaria estima uma produção inicial de aproximadamente 24 toneladas de ouro ao ano. Mas, ao longo do tempo, quer alcançar 48 toneladas anuais, o que equivale a 25% de todo o ouro produzido no Brasil.

Segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), o ouro é um dos minerais mais importantes para a economia nacional. Isso porque o Brasil movimenta anualmente R$ 14,2 bilhões com a extração do minério.

Para reduzir o impacto ambiental e otimizar os processos, a refinaria adquiriu equipamentos de refino italianos, uma referência no mercado internacional para o tratamento do ouro.

Segundo a empresa, todos os procedimentos são controlados rigorosamente pelas máquinas. Além disso, os gases emitidos durante as etapas vão direto a um exaustor que conduz a um compartimento de neutralização dos ácidos para posterior liberação na natureza.

Leia também: Braskem é processada na Holanda por afundamento de solo em Maceió

Leia também: Anglo American anuncia investimento de R$ 2,2 bilhões em Goiás

Leia também: Garimpeiros reagem à operação da PF e ANM contra  extração ilegal de manganês no Pará

Comentários